Escolha uma Página

Os oportunistas são indivíduos torpes que se beneficiam em detrimento dos outros, principalmente os mais ingênuos, que confiam cegamente naquilo que é mentira transformado em verdade.

O problema dos ingênuos é uma mistura de bondade, “santidade” misturada com honestidade, que culmina em realizar para os “maldosos” aquilo que nem imagina que pode prejudicar a si mesmo e à sociedade.

Infelizmente, muitos oportunistas são líderes e muitas vezes estimulam a violência, quando esta se volta para eles se tornam vítimas, são mentores de ideias que nem sempre beneficiam a todos ou a um grupo, mas apenas a ele próprio ou a uma minoria.

São muitos exemplos:

a família que é o esteio de muitos de nossos comportamentos, a princípio a liderança é atribuída aos pais que muitas vezes insistem em modelos “doentios” como umas palmadas ou” gritaria”, claro ninguém é de ferro, o maior problema é quando isto se torna “hábito”, isto é, o diálogo não existe, a compreensão ou a reflexão saem daquilo que chamamos “EDUCAÇÃO”, a ideia de que a criança ou adolescente não tem o direito se tornou “DESUMANO”, os falsos líderes não admitem a espera ou ser contrariado se tornando violentos e educando “humanos” sem direitos.

a maioria da classe política, são indivíduos que se vendem como mercadoria, atualmente um político custa para a sociedade dois milhões de reais, isto é uma violência contra o dinheiro público, em vez de trabalhar para melhorar a vida do povo criam leis para benefício próprio.

a torcida de futebol já escrevi em outras ocasiões no meu blog e na minha página no Facebook sobre os líderes que promovem a violência e destroem patrimônios e vidas em função das contribuições recebidas dos sócios e pagamentos de ingressos, de ideias e ideais.

A religião, cujo, os líderes pregam as disputas, o absolutismo, a escravidão e a consequência é a discórdia, em vez do símbolo da “PAZ”.

Enfim, insisto no autoconhecimento, no início é provável que a angústia se torne em crise, pois não concordar com o grupo que impede a sua participação ocorrerá a solidão e o tédio, outra alternativa é a possibilidade de grupos menores que permitem a “LIBERDADE” de pensar.

PENSAR E SER-NO-MUNDO