Escolha uma Página

É estranho quando a culpa dilacera, como ela consegue mexer com o seu corpo, alguns jogam na cabeça, ficam com uma dor insuportável ao ponto se tornar uma enxaqueca, outros em outras partes do corpo como o estômago criando úlceras e ainda tem indivíduos que ficam com dores na pernas e as paralisam e aqueles que tossem sem parar instalando uma alergia que se alastra pelo corpo.
O nosso corpo não está dividido do nosso cérebro, somos um, portanto quando algo vai mal os nossos sentidos despertam causando transtornos psicológicos que só resolvem através de tratamento.

 

 

Escuto muito no consultório sobre as relações interpessoais, começando pela família, em seguida na escola, faculdade, cursinho e principalmente sobre os casais.

O maior problema é sobre ser agradável continuamente, mas como diz o ditado “ é raro agradar a gregos e troianos”, a partir daí as interrogações aparecem “ o que estou errando”, “ não sei mais o que fazer para agradar” e tantas outras frases que faz os relacionamentos em geral se desgastar e a consequência é o desfalecimento das energias.

A insegurança e o mecanismo de defesa se tornam contínuos nos relacionamentos, onde as reações terminam em conflitos.

Existem fases para o relacionamento melhorar ou piorar, a qual podemos chamar de luto.

A Primeira é o desespero ou desorientação.

A Segunda é a ansiedade.

A terceira é um vazio.

A quarta é a reorganização.

Este luto não é necessariamente a morte de um ente querido, mas a perda de algo muito importante na sua vida, como um emprego, relacionamento, dinheiro e outros.

É extremamente difícil a elaboração sem um profissional da saúde, como o Psicólogo, Psiquiatra, Médico e os outros para a vida retornar o seu sentido.

O que a arte tem a ver com a psicologia? – aliás, para que serve a arte?  Como seria viver em mundo sem cor, música, poesia, fantasia, graça.

É demasiadamente triste haver pessoas que se abstém da arte,  a consequência disso, é um viver provido de pouco sentido, pois não se permitem perceber ou aceitar outras coisas e outra forma de viver a não ser aquela fixada em um moralismo sem tamanho.

É fato que quando um indivíduo vive desta maneira, se torna defensivo, apenas uma ideia fixa o deixa em uma ilusão, pois confiam plenamente em algo que não se revelou, diferente da arte.

A arte tem a função de revelação e reflexão através da pintura, das palavras e do subjetivismo do artista que possui a coragem de se expor e mexer com os semelhantes.

A psicologia e a arte se encontram em função dos sentimentos que dependendo daquilo que se vê ou ouve pode ajudar os indivíduos que estão doentes a encontrar outro modo de ser no mundo.  

Como existir no mundo e não ser julgado?
Nos primórdios do mundo, não existia lei e nem regras para nortear a vida, o que a história mostra é que era cada um por si e isto causou muitos transtornos e dizimou muitos indivíduos.
Atualmente existe uma preocupação mais evidente em relação à saúde mental, pois é a partir dela que as relações melhoram.
Mas para nos relacionarmos há um grande problema, porque na maioria das vezes a aproximação um dos outros proporciona intimidade, que muitas vezes faz diminuir o respeito, os julgamentos aparecem como críticas e junto disto a liberdade emperra criando o medo e o isolamento.
Em razão deste imbróglio a consequência é a morte de grupos, de instituições como um casamento, por exemplo, ou a perda de um emprego ou ainda confusões com um sócio instalando, portanto, a ansiedade que acompanhada de desespero deixa o indivíduo perdido, sem perspectivas e ainda com comportamento explosivo, se defendendo de tudo e de todos. Normalmente se estes indivíduos não recebem apoio familiar, psicológico e compreensão, é fato, que se afundam e adquirem outras doenças psicológicas e psiquiátricas causando ainda mais transtornos para si e para quem está próximo.
A ajuda de um profissional qualificado para escutar o ansioso, ainda é o melhor remédio, pois a partir da fala que se nomeia o que sente, sem o devido cuidado o corpo não suporta e explode.

Confiar o que isto significa? É o mesmo que política?
Hoje em dia as pessoas quando querem algo e buscam evitar conflitos usam do termo “ é melhor fazer política”…
Mas o que é política afinal?
De acordo com o dicionário Houaiss existem diversas definições, no contexto do tema abordado o melhor conceito é “a boa capacidade de relacionar com os outros”.
Esta capacidade de se relacionar com o outro é fundamental para a nossa promoção no mundo, é a partir daí que o indivíduo se estabelece na família, na escola, no trabalho e na sociedade como um todo.
Voltando ao assunto da confiança é padrão aprendermos através de grupos, a maioria dos indivíduos inicia e tem como modelo a família ou igreja, grupos espirituais, comunidade, partidos e outros.
Quando temos pessoas as quais aprendemos a confiar, é natural, que sigamos os seus ensinamentos e ainda compartilhamos aquilo que de algum modo produziu o nosso bem-estar, mas quando estes modelos ou ídolos não cumprem aquilo que dizem, despertam a desconfiança produzindo, portanto, doenças psicológicas. Esses líderes não se importam quando se envolvem em situações que causam danos a vidas, pois pensam que são deuses, inabaláveis. Infelizmente aqueles que usam da fé, da política com mentiras e abusos são pessoas consideradas doentes, do ponto de vista psicológico e psiquiátrico.
Aqueles que se tornaram líderes ou são legitimados, necessitam da ajuda psicológica ou psiquiátrica para aprenderem a lidar com o prestígio, a admiração, a fama.

Psicólogo Geovan Farias de Lira