Escolha uma Página

A Motivação pode ser considerada como algo que poderá me deixar feliz.

Mas felicidade pode ser utópico, acredito que na vida podemos ter momentos felizes.

Retornando ao assunto, a motivação pode estar relacionada à recompensa.

Mas o que, de fato, é a recompensa?

No consultório diversas pessoas que ganham dinheiro ficam confusas em razão do desequilíbrio psicológico e consequentemente o dinheiro que é muito importante se torna como troca e não como recompensa produzindo uma dificuldade nas relações pessoais e interpessoais se tornando um narcisista, ou o centro do universo, desembocando diversos problemas e ainda  se tornando uma pessoas infeliz.

Podemos pensar em que adianta trabalhar, trabalhar, trabalhar e no fim receber uma recompensa, um salário, e as relações interpessoais estão comprometidas ou danificadas?

Óbvio que trabalhar é algo imprescindível para se viver e manter um padrão de vida, agora para a recompensa, e o devido resultado, é necessário uma aplicação, um conhecimento através de muita leitura naquilo que se deseja para ficar motivado e realmente ser-no-mundo.

Quase impossível, o pior de tudo é quando o sujeito se sente o pior de todos, e ainda pode ficar em uma esperança de que tudo poderá voltar como era antes.

No consultório costumo dizer aos meus pacientes bem-vindo a vida, ela é também composta de decepção.

Agora como sair desta situação deplorável? onde o sentimento é que o meu mundo caiu,e a sensação é só de tristeza.

A primeira ideia é procurar alguns amigos que de certa forma foi afastado em função do meu  namoro, casamento jamais ter crises ou acontecer o fim. Penso que este é um caminho, mas o maior problema poderá ser que as amizades não suportem a sua tristeza, pois cada indivíduo tem o seu modo de lidar com as perdas, alguns com mais intensidade por ter uma tendência a depressão e outros não.

A psicoterapia poderá ser um outro caminho com profissionais que não será seu amigo, mas um desconhecido para escutar o que você não “escutou”, proporcionando ao paciente a oportunidade de “Recordar, Repetir e Elaborar” as perdas.