Escolha uma Página

Quase impossível, o pior de tudo é quando o sujeito se sente o pior de todos, e ainda pode ficar em uma esperança de que tudo poderá voltar como era antes.

No consultório costumo dizer aos meus pacientes bem-vindo a vida, ela é também composta de decepção.

Agora como sair desta situação deplorável? onde o sentimento é que o meu mundo caiu,e a sensação é só de tristeza.

A primeira ideia é procurar alguns amigos que de certa forma foi afastado em função do meu  namoro, casamento jamais ter crises ou acontecer o fim. Penso que este é um caminho, mas o maior problema poderá ser que as amizades não suportem a sua tristeza, pois cada indivíduo tem o seu modo de lidar com as perdas, alguns com mais intensidade por ter uma tendência a depressão e outros não.

A psicoterapia poderá ser um outro caminho com profissionais que não será seu amigo, mas um desconhecido para escutar o que você não “escutou”, proporcionando ao paciente a oportunidade de “Recordar, Repetir e Elaborar” as perdas.

O medo está atrelado a fobia, ansiedade, angústia, pânico, pavor noturno, terror, agonia impensável, pesadelo, etc.

O medo da separação da mãe , na dependência absoluta.

Os medos normalmente se iniciam na infância e quando não são tratados perduram pela vida.

Os exemplos mais comuns são: medo de cachorro, de avião, de dentista, de injeção, medo do abandono, da  morte.

O tratamento psicológico ajuda a revelar os medos para a vida seguir com os devidos enfrentamento.

Psicólogo Geovan Farias de Lira CRP 06/50441

Se você é movido pela recompensa.

Quando recebo algo que quero, sinto-me animado e energizado.

  1. Quando quero alguma coisa, geralmente me mexo para consegui-la.
  2. Quando vejo uma oportunidade para algo de que gosto, logo me sinto entusiasmado.
  3. Quando coisas boas acontecem comigo, sou bastante afetado.
  4. Tenho poucos medos se comparado a meus amigos.

 

Se você é movido pela Ameaça

  1. Críticas e reclamações me ferem bastante
  2. Sinto-me bastante preocupado ou triste quando acho ou sei que alguém está com raiva de mim
  3. Se acho que algo desagradável vai acontecer, geralmente fico bastante afetado.
  4. Fico preocupado quando acho que saí mal em algo importante.
  5. Preocupo-me quanto a cometer erros.

 

Trecho do livro “ O Poder dos Quietos”

É estranho quando a culpa dilacera, como ela consegue mexer com o seu corpo, alguns jogam na cabeça, ficam com uma dor insuportável ao ponto se tornar uma enxaqueca, outros em outras partes do corpo como o estômago criando úlceras e ainda tem indivíduos que ficam com dores na pernas e as paralisam e aqueles que tossem sem parar instalando uma alergia que se alastra pelo corpo.
O nosso corpo não está dividido do nosso cérebro, somos um, portanto quando algo vai mal os nossos sentidos despertam causando transtornos psicológicos que só resolvem através de tratamento.

 

 

Escuto muito no consultório sobre as relações interpessoais, começando pela família, em seguida na escola, faculdade, cursinho e principalmente sobre os casais.

O maior problema é sobre ser agradável continuamente, mas como diz o ditado “ é raro agradar a gregos e troianos”, a partir daí as interrogações aparecem “ o que estou errando”, “ não sei mais o que fazer para agradar” e tantas outras frases que faz os relacionamentos em geral se desgastar e a consequência é o desfalecimento das energias.

A insegurança e o mecanismo de defesa se tornam contínuos nos relacionamentos, onde as reações terminam em conflitos.

Existem fases para o relacionamento melhorar ou piorar, a qual podemos chamar de luto.

A Primeira é o desespero ou desorientação.

A Segunda é a ansiedade.

A terceira é um vazio.

A quarta é a reorganização.

Este luto não é necessariamente a morte de um ente querido, mas a perda de algo muito importante na sua vida, como um emprego, relacionamento, dinheiro e outros.

É extremamente difícil a elaboração sem um profissional da saúde, como o Psicólogo, Psiquiatra, Médico e os outros para a vida retornar o seu sentido.

O que a arte tem a ver com a psicologia? – aliás, para que serve a arte?  Como seria viver em mundo sem cor, música, poesia, fantasia, graça.

É demasiadamente triste haver pessoas que se abstém da arte,  a consequência disso, é um viver provido de pouco sentido, pois não se permitem perceber ou aceitar outras coisas e outra forma de viver a não ser aquela fixada em um moralismo sem tamanho.

É fato que quando um indivíduo vive desta maneira, se torna defensivo, apenas uma ideia fixa o deixa em uma ilusão, pois confiam plenamente em algo que não se revelou, diferente da arte.

A arte tem a função de revelação e reflexão através da pintura, das palavras e do subjetivismo do artista que possui a coragem de se expor e mexer com os semelhantes.

A psicologia e a arte se encontram em função dos sentimentos que dependendo daquilo que se vê ou ouve pode ajudar os indivíduos que estão doentes a encontrar outro modo de ser no mundo.